Pular para o conteúdo principal

Como Deus Se Comunica Conosco?

Olá irmãos da fé! Hoje venho lhes apresentar um post falando sobre como podemos nos comunicar com Deus. Será que devemos receber uma mensagem especial dele assim como era com os profetas? Será que temos que ter visões assim como João teve para escrever Apocalipse? É o que veremos.



image







O Povo de Israel

Deus sempre se comunicou com o ser humano. Assim que criou Adão e Eva e deu-lhes o sopro de vida (Gn 2:7) logo conversou com eles, falando para serem férteis e dominarem sobre os seres da Terra (Gn 1:28).
Com Noé, o Senhor também falou diretamente com ele, visto que andava constantemente consigo (Gn 6:13-21) e assim foi com Abraão (Gn 12:2-3), com Moisés (Êx 3:4-22), com Josué (Js 1:2-9), com Samuel (1Sm 3:11-14) e tantos outros do Antigo Testamento.
Durante esse período Deus falava com os seus filhos diretamente, sendo que o mais próximo dele fora Moisés que o conheceu “face a face” e foi sepultado pelo próprio Deus (Dt 34:5-12).
Deus falava com os líderes e profetas diretamente, enquanto se comunicava com o povo em geral através deles (Is 43:1) e por Sua Lei, disciplinando-o e o abençoando quando obedeciam seus preceitos (Dt 4:2; 8:1; 11:1-2)

A Vinda de Jesus Cristo

Assim que Jesus veio, Deus utilizou seu Filho para proclamar a mensagem ao povo e reunir seguidores, sendo como pastor de ovelhas para elas (Mateus 9:35-36). 
Isso já havia sido predito por Isaías e reafirmado no evangelho de Mateus; o nosso Senhor escolheu Cristo como seu servo para que ele anunciasse a justiça a todos as nações (Is:42:1-4; Mt 12:18-21)
Através dele as pessoas puderam chegar livremente ao Pai, pois tudo havia sido entregue a Jesus para que assim consolasse o povo escolhido (Mt 11:27-30).



image

O Senhor se comunicou pelos ensinamentos de Jesus, falando sobre seu amor e perdão (Lc 15:11-31) e sobre as virtudes que devem ser cultivadas por todos nós (Lc 6:17-26), por exemplo, além de esclarecer sobre questões as quais os judeus tinham dúvidas como o sábado (Mc:2-23-27), a tradição judaica (Mt 15:3-6) e o divórcio (Mt 19:4-9).
Paulo deixa claro que antes os profetas eram o Seu porta-voz, porém Cristo veio para ocupar esse lugar enquanto estava na Terra. (Hb 1.1,2)
Deus se comunicava com o povo por intermédio do seu primogênito, dando-o em sacrifício (Jo 3:16) e realizando Sua obra através dele (Jo 14:9-12).

O Início da Cristandade

Após a ascensão de Jesus aos céus o Senhor haveria de enviar o Espírito Consolador que os guiaria até que Cristo voltasse (Jl 2:28-32; Jo 14:16-26). Assim, ele nos lembraria de todos os seus ensinamentos.
Os apóstolos receberam o Espírito Santo no dia do Pentecoste e o manifestaram (At 2:1-13), pois ele os capacitava para isso. 
A partir desse momento Deus se comunicou com seu povo através do Espírito Santo, mantendo os ensinamentos de Jesus e solidificando a base da doutrina cristã, vinda em grande parte das cartas paulinas. O Espírito Santo capacitava esses homens para se comunicarem com os recentes cristãos, plantarem igrejas e guiarem o povo.

Atualmente

Chegamos aos dias atuais. No meio dessa depravação moral podemos achar que Deus está tão distante; Ele não aparece como antes e aqueles que denominam continuar os dons apostólicos por muito os falsificam, são ridicularizados e levam ao emocional, esquecendo-se do espiritual.
Mas Deus continua o mesmo. Suas palavras não mudam (Mc 13:31). A verdade não muda. Ele não muda (Hb 13:8). Mas nós mudamos.



image

A Bíblia foi terminar de ser escrita no século I D.C e mesmo assim ela permaneceu de difícil acesso a maioria da população por muito tempo. Foi a partir do século XVI que ela passou a ser popularizada e hoje a temos em nossas mãos, podendo comprar e lê-la a qualquer momento.
O Senhor permanece transmitindo informações pela Sua Palavra. É nela em que devemos basear nossa vida, pois é, por completo, útil para o ensino (2 Tm 3:16) 
Para que possamos entendê-la devemos estar em constante conexão com Deus através da oração, sendo por ela que Deus intercede por nós (Rm 8:26-27). Ele sempre nos ouve (Sl 4:3) e não devemos duvidar de seu poder (Tg 5:16).
Assim, não apenas lemos as Escrituras, mas somos guiados pelo Espírito Santo presente em nossos corações.
Há outras maneiras de Deus se comunicar, como pelo conselho de irmãos (Cl 3:16) e por sonhos e revelações pessoais (1 Ts 5:20-21), porém esses não devem substituir nossa principal base e única regra de fé e prática, as Escrituras (At.17:11)
Hoje Deus se comunica conosco principalmente pela Sua Palavra, aquela que prega a verdade (Hb.12:19) e se opõe a qualquer falsa revelação (1 Tm 6:2-5)


É isso meus amados reformados! Espero que tenham compreendido a importância de estarmos ligados a Deus e como podemos fazer isso, assim como saber como isso foi feito no passado.
Até a Próxima!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Septuaginta, Vulgata, Torá, Tanakh, Talmude e outros: Os Antigos Escritos Bíblicos

Quando estudamos a história da teologia ou até mesmo nos aprofundamos no estudo dos livros da Bíblia dificilmente evitaremos termos como Torá e Septuaginta que apesar de bastante conhecidos, nem sempre os cristãos os entendem e são essenciais caso queiramos compreender por completo o significado original dos textos que lemos em nossas traduções. Por isso, explicarei brevemente o que significa cada um deles e alguns outros que são mais esquecidos, mas antes preciso conceituar três coisas importantes: Antigo Testamento - Os primeiros 39 livros da Bíblia, também chamados de Bíblia Hebraica Novo Testamento - Os 27 últimos livros da Bíblia, começando com os evangelhos. Bíblia - Conjunto de textos sagrados para os cristãos composta por 66 livros (Bíblia protestante). Tendo isso claro, podemos iniciar: Torá Vindo do hebraico תּוֹרָה ("tōrāh" para os sefarditas), significa "instrução" e é o conjunto que nós cristãos conhecemos como Pentateuco , ou seja, os 5

Em defesa do Batismo Infantil

    Apesar da diversidade de igrejas existentes hoje em dia, existem determinadas crenças que estão presentes em todas elas: A crença num Deus único, em Jesus como Salvador e Redentor, na sua vinda como Deus encarnado, na Trindade, na Bíblia como inerrante revelação divina, no Espírito Santo como parte do ser de Deus e que guia a igreja, além de outras, tendo como principais sacramentos o batismo e a Santa Ceia (ainda que a Igreja Católica possua sete deles) Ainda assim, um assunto bastante controverso até hoje e que acompanha um ritual milenar dentre os cristãos, significativo e profundo para todos eles é com certeza o batismo . Para os novos crentes é a regeneração e para os filhos de crentes a confirmação ou o selo da graça, contudo, em que idade deve ser praticado? Bebês devem ser batizados ou apenas os que confessam a fé? Venho então defender a última crença e pretendo mostrar que ela é correta segundo as Escrituras, por mais que a minoria dos evangélicos a defende atualmente. A O

O Martírio de S. Policarpo - ENTRE A MORTE E A GLÓRIA

A Igreja sempre contou com grandes mártires em sua história, verdadeiros heróis do cristianismo que entregaram suas vidas por causa de sua fé. Esses homens de fato imitaram a Cristo não apenas em vida, mas também em morte e foram reais testemunhas do Filho de Deus, como a própria palavra mártir (μάρτυς) significa em grego. Eles testificaram a Vida (1 Jo 1:2), como diz o apóstolo João, e voluntariamente se entregaram por Aquele que é a Verdade. Com a intenção de honrar suas histórias, desejo realizar uma série de publicações chamada "Entre a Morte e a Glória", semelhante a "Ícones da Igreja" que eu publiquei ano passado O primeiro desses mártires será Policarpo de Esmirna (68-155), um dos bispos mais amorosos e mais marcantes do princípio da Igreja Princípio de sua vida Policarpo nasceu no ano 69 numa família cristã da alta burguesia em Esmirna. Segundo cristãos das décadas seguintes, foi discípulo do Apóstolo João, ordenado diretamente bispo de Esmirna por ele como